Alternar Nav

Bom Jesus

O Santuário do Bom Jesus e a sua zona envolvente é o local mais destacado nos postais turísticos da cidade de Braga. O seu conjunto arquitetónico é majestoso, predominando a arquitetura religiosa, barroca, rococó e neoclássica. 

Para chegar ao topo sem automóvel, há duas formas, igualmente prazerosas: utilizar o elevador, que é um funicular movido a água, o primeiro construído na Península Ibérica, ou subir os mais de 500 degraus (573 degraus de acordo com a Confraria do Bom Jesus do Monte) que compõem os vários escadórios, aproveitando para contemplar as vistas sobre Braga durante a subida.
Com os escadórios pautados por fontes e estátuas barrocas, envolvidos por um Monte centenário, o Bom Jesus tem uma história com génese no século XIV. No entanto, o local, tal como o conhecemos hoje, surge em 1722 por iniciativa de D. Rodrigo de Moura Teles, que projeta o atual Santuário, manda construir as Capelas da Via Sacra, do Pórtico e dos Escadórios dos Cinco Sentidos. O fluxo cada vez maior de peregrinos, que ainda hoje caminham em direção ao Bom Jesus, levou o Arcebispo D. Gaspar de Bragança a entregar, em 1784, a missão de desenhar uma nova Basílica a Carlos Amarante. A obra ficou concluída em 1811, dando vida a uma das primeiras edificações do neoclássico português.

Mas, para além dos incríveis escadórios, do antigo funicular e da imponente Basílica, o Bom Jesus é muito mais que um local religioso: é romântico e perfeito para momentos de convívio, graças aos seus jardins, à gruta dos desejos ou ao lago que convida a um passeio de barco a remos.
É também deste local que surge uma expressão popular bastante conhecida em Portugal: “ver Braga por um canudo”. O chamado “canudo” é um monóculo que se encontra no Bom Jesus e proporciona uma vista detalhada sobre a cidade de Braga.

Sugestões

Confraria do Bom jesus do Monte

Sítio internet

Mapa